Arquivo do mês: julho 2010

Como limpar os alimentos

Na dúvida em saber como se livrar da ingestão do agrotóxico que pode estar em produtos hortifruti? A resposta é simples. Segundo o engenheiro agrônomo do Instituto Mineiro de Agropecuária, Victor Wczassek, basta a dona de casa fazer uma simples lavagem dos alimentos com sabão neutro em baixo de água corrente. Essa medida já seria suficiente para a retirada do agrotóxico de contato, aquele que fica na superfície dos alimentos.

Para uma limpeza profunda e controle microbiológico ele sugere a imersão das frutas e legumes numa solução com água sanitária e água comum. A proporção deve ser feita da seguinte forma: para um litro de água usar uma colher de sopa de água sanitária. As verduras, legumes e frutas devem ficar submersas pelo menos 10 minutos.

Exemplos conscientes

Uma postura consciente começa desde pequeno. Os maiores incentivadores são os pais. E se você é pai ou mãe e quer repassar uma visão mais ecológica é bom ficar atento à economia financeira e aos gastos desnecessários, o que em certo ponto contribui para a racionalização do consumo. Agora, fazer economia e controlar os gastos está difícil? Então, o melhor a fazer é apostar na separação do lixo contaminante como pilhas, baterias e até o óleo de cozinha. Hoje já existem empresas especializadas no recolhimento desse resíduo.

Outro passo importante é sempre que você vai realizar as suas compras, dê preferência para produtos retornáveis, que geram menos lixo e que em certa medida não utilizam muita embalagem. E ainda, escolha embalagens econômicas, pois sempre tem mais quantidade e se estiverem na dúvida, optem por tudo a granel.

Porém, como nem sempre adotar medidas simples é fácil. Lidar com meio ambiente, no qual tudo está interligado é um pouco complicado. Fique de olho se você adotando tais medidas está apenas compensando outros impactos ambientais gerados pelos seu estilo de vida. A redução do desperdício e do consumo é apenas uma etapa para o equilíbrio na geração de resíduos que  produzimos.  Temos que ficar de olho também no uso do automóvel e outros vilões do aquecimento global como o uso indiscriminado do ar condicionado.

E-Lixo

O aumento crescente do lixo eletrônico já se configura um problema. O que fazer com a geladeira velha ou com o computador antigo que não funciona mais?  Essa é uma dúvida que tem aumentado no cotidiano das pessoas, já que nos últimos anos houve um aumento da facilidade para compra desses equipamentos e também um encurtamento da vida útil desses produtos.  A resposta para essa tão crescente dúvida vem de uma prática bastante conhecida: o reaproveitamento.

Em Belo Horizonte, já existe um lugar que recebe alguns equipamentos eletrônicos e dá um novo destino e utilidade para tudo que antes seria descartado.  É o Centro de Recondicionamento de Computadores, que funciona como uma grande escola. Lá, os jovens de comunidades carentes têm a oportunidade de aprender a reaproveitar partes de um computador antigo e adaptar partes em bom funcionamento de outros na configuração de um novo PC, que sai da sede do projeto direto para órgãos e instituições que ainda não possuem um computador. Tudo para garantir a inclusão digital. E os benefícios não param por aí. O projeto consegue minimizar o volume de lixo eletrônico e também fazer o gerenciamento adequado desses resíduos. A parcela mínima de lixo que não se consegue o reaproveitamento é enviado para empresas recicladoras em São Paulo. Dessa forma, se evita a ida de matérias contaminantes ou metais pesados como baterias para o aterro convencional.

O processo de recondicionamento começa quando uma empresa ou cidadão comum doa seu equipamento eletrônico ou computador velho. Esses equipamentos são armazenados em uma sala no centro e passam depois por um processo de triagem. De lá, são levados para uma oficina, onde jovens configuram um novo computador. Em seguida, esses computadores sequem para instituições, já algumas outras peças não aproveitadas na reconfiguração seguem para o Projeto Guernica.

Ficou interessando e deseja dar um fim mais nobre aos seus computadores velhos ? Entre em contato com a equipe do Centro de Recondicionamento de Computadores. O telefone deles é (31) 3277-6259/6064.

Gaste menos água

Sua conta de água está acima do normal? Você não sabe como economizar água? Saiba que tudo depende da mudança de hábito e do uso racional desse recurso natural. O desperdício de água é a conta a mais que você paga pelo que não usa.

Então, mãos a obra! Mantenha sua torneira sempre em perfeitas condições e após usá-la certifique-se que não está vazando. Ao lavar as mãos, feche a torneira na hora de ensaboá-las. Para escovar os dentes ou fazer a barba, faça o mesmo. Só volte a abrir a torneira na hora de enxaguar. Tenha o mesmo costume na hora de lavar roupa e louças: mantenha a torneira fechada na hora de ensaboar. Diminua o uso da descarga ou opte por vasos sanitários já com sistemas com válvulas para o numero 1 ou para o número 2. Nunca jogue papel, pontas de cigarros ou lixo dentro do vaso, pois, além de gastar muita água, podem causar entupimentos.

Os banhos demorados consomem 37% da água de uso doméstico. Para você ter uma idéia, cinco minutos com o chuveiro aberto consomem 60 litros de água. Diminua o fluxo do chuveiro e, quando estiver se ensaboando, faça-o com o chuveiro fechado. Se for indispensável o uso da mangueira, utilize sempre um esguicho (tipo bico). Assim, quando você não estiver utilizando, o fluxo de água é interrompido. Evite lavar as calçadas, garagens e carros várias vezes por semana, assim como irrigar os jardins. Não use o jato da água para varrer o chão. Use a vassoura. Na hora de lavar o automóvel, troque a mangueira pelo balde de água. Quando você for viajar, desligue o registro de entrada de água, evitando qualquer desperdício durante sua ausência.· Não passe canalizações próximas a buracos ou instalações de esgotos porque, se ocorrer vazamentos, você poderá não perceber, além disso, a água pode ser contaminada.

Economize Energia

Tudo mundo quer gastar menos dinheiro com contas de luz. A receita para economizar começa na escolha dos produtos que você vai levar para casa. O primeiro passo é optar por equipamentos eficientes, que consome menos energia. A dica é conferir o selo do PROCEL, cuja finalidade é estimular e apontar os produtos eletroeletrônicos mais eficientes no item economia de energia, além é claro de orientar o consumidor para a escolha de produtos com a melhor eficiência energética. Agora, a segunda e mais importante etapa é a mudança de hábitos. Sempre apagar ou desligar os aparelhos que não estão sendo usados e quando não se estiver em um cômodo da casa é melhor deixa-lo com a luz apagada.

Supermercado Verde

É inevitável. Todos já fomos ou iremos algum dia em um supermercado. E hoje em dia, já dá para optar em qual supermercado ir. Podemos optar pelo com o menor preço ou com a melhor qualidade dos produtos que vamos comprar, mas os supermercados verdes são uma mão na roda para quem está preocupado com as questões ambientais e quer realizar compras sustentáveis.

Supermercado Supernosso Gourmet: primeira loja verde inaugurada na América Latina fica em BH

Neles podemos percorrer os corredores com carrinhos de plástico reciclável, procurar e selecionar alimentos em gôndolas feitas de madeira de reflorestamento, além é claro de desfrutar de uma ótima sensação térmica sabendo que o empreendimento não usa ar condicionado. E por fim, sair de lá levando suas compras em sacolas oxibiodegradáveis ou em caixas de papelão.  O resultado sem dúvida, é saber que você fez sua parte para preservar o meio ambiente e consumiu de forma consciente

Produtos Orgânicos

Alimentos produzidos sem o uso de agrotóxicos e adubos químicos, através de métodos que não agridem a natureza e mantêm a vida do solo intacta, preservando a terra, matas, nascentes e a saúde dos produtores. Esses são os princípios para a produção de qualquer produto orgânico. Na hora de comprar qualquer alimento nada melhor que optar por esses produtos e garantir menor agressão ao meio ambiente.

Mas se você  estiver sem muita grana e  no sul de Minas Gerais, uma boa opção é optar por produtos convencionais que possuem o Sistema de Rastreamento do Fruto. Na embalagem dos produtos existe uma combinação de números que o consumidor acessa o site www.sisfrut.com.br, insere o número e tem informações sobre o produto que comprou. É possível acessar fotos da propriedade e da plantação, tipos de insumos usados e quando usados, número do receituário agronômico, nota fiscal e, principalmente, o resultado da análise de resíduos feita pelo laboratório do Instituto Mineiro de Agropecuária, dentre outros dados. Com a iniciativa é possível avaliar os impactos dos produtores rurais ao meio ambiente e pelo menos fazer uma compra um pouco mais sustentável, e claro, sem gastar muito.